terça-feira, 8 de novembro de 2011

Meu avô, o policial

Toda vez que vejo/ouço alguém falando sobre a Polícia e do quanto ela é corrupta e ineficiente, eu lembro do meu avô. Um homem que trabalhou honestamente a vida inteira usando farda e que tentou, do jeito dele, deixar a vida da gente mais segura, carregando sempre o orgulho de ter a profissão que tinha.
Mesmo tendo se aposentado quando eu era bem pequena, sei de mil casos e histórias porque ele mesmo contava. E contava com a boca cheia, digna de um trabalhador que fez o serviço da maneira mais correta possível. Coisa de quem não tinha medo, de quem arriscou a vida um bom número de vezes e foi atrás do que sempre acreditava: segurança em primeiro lugar. Pro meu avô, o certo era o certo.
Lembro que uma vez a gente encontrou a arma dele enquanto brincávamos na casinha dos fundos. Não só a arma, como o cassetete e o cinto. Quando ele viu que a gente tinha encontrado aquilo, foi o maior desespero: "larga isso agora, é perigoso demais". "Mas vô, não era com isso que você trabalhava?". "É, mas não tem bandido aqui agora. Agora é só paz". Pro meu avô, arma não era brinquedo.
E agora a gente tá aqui, ouvindo todo mundo com a sua opinião sobre a ação da Polícia, inclusive meia-dúzia de revolucionários de sofá que só sabem falar da mídia de direita mas que não percebem que a de esquerda é igualmente tendenciosa. Gente que nunca correu riscos e quando sentiu um arrepio de medo, ligou pro 190. Gente que diz que "polícia é para quem precisa" mas precisa mais do que todo mundo junto. Gente que generaliza usando argumentos prontos.
O exagero tá batendo na porta mesmo, mas bate dos dois lados. Do mesmo jeito que tem aqueles que não merecem usar uma farda por nem ao menos 5 minutos, tem aqueles que lutam por uma causa quebrando tudo e cobrindo o rosto, sem nem ao menos saber pelo quê estão lutando. Extremistas, dos dois lados. E burros, dos dois lados também.
É nessas horas que imagino o que o meu avô pensaria e como ele se sentiria vendo tudo isso. E é ao imaginar a sua reação que eu acho que ele partiu na hora certa. Afinal de contas, é palhaçada demais pra alguém que dedicou sua vida a um serviço. Aquele homem fardado realmente não merecia ouvir certas asneiras.

11 comentários:

  1. Incrível, Mônica!
    E é isso mesmo: na hora da demagogia, é muito fácil falar de quem tá ali se arriscando o tempo todo. Mas quando precisam...

    ResponderExcluir
  2. Muito bom. To irritado com toda essa história escrota.

    ResponderExcluir
  3. Você está correta, Mônica!
    Infelizmente em nosso país existe muita hipocrisia, interesses próprios e discursos prontos.
    Toda situação deve ser levada com imparcialidade, eu mesmo precisei da polícia semana passada e fui muito bem atendido.
    Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  4. Mônica, que ótimo o fato de que você ofereceu a nó "o outro lado", porque não dá para generalizar, de forma alguma. Tem muita gente de fora que sequer pode ser considerada capacitada para expressar sua opinião verdadeira. E toda história tem dois lados.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Pois é, até quem não tem relação alguma com a polícia também fica indignado.

    ResponderExcluir
  6. Concordo totalmente! Acho que eles também deveriam levar boa parte em conta. Como você citou: os dois lados.

    ResponderExcluir
  7. Belo é ter tido um bom exemplo ao lado. É uma questão de caráter, e todas as esferas estão sujeitas a ter pessoas sem.

    ResponderExcluir
  8. Oii
    que legal seu blog !!
    Ja estou te seguindo !!
    E te convido para seguir meu blog tbm!!
    Tem sorteio no blog
    para participar é só clicar ali no
    banner do sorteio que se encontra do lado esquerdo do meu blog
    aguardo a sua participação
    e boa sorte !!
    Beijinhos e boas festas
    http://karenbarbiepink.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Adorreei aqui ta de Parabéns seu blog e muuuito bom eu amei amei tudo as postagens são impecáveis , eo design ta PEERFEITO , vou sempre estar aqui em ... já sigo segue de volta ?
    Portal Disturbia

    ResponderExcluir
  10. Hahahaha que delícia seu texto. Bastante estimulante e gosto de navegar por aí para achar pérolas como o teu. Também escrevo de vez em quando em alguns dos meus sites como aqui.

    ResponderExcluir